Há 6 anos, durante meu trabalho na Petrobras, fui apresentado ao Mapeamento de Processos de Negócios e aos benefícios que ele pode trazer para organização. Na oportunidade, realizei junto com uma consultoria externa, o mapeamento de processos relacionados a extração de gás em Urucu. Entrevistas, Workshops, documentação de requisitos, interação com a ferramenta ARIS, validação de modelos, desenho… foram alguns dos passos realizados nesse tempo. O objetivo era compartilhar através de modelos de processos, conhecimentos para um grupo de pessoas, muitas vezes de diversos níveis e interesses (alta direção, tático e operacional), como funcionava o processo de extração. Para isso, partimos da cadeia de valor da Petrobrás, até chegar nos processos principais, sub-processos e fluxo de atividades.

Começou assim o meu interesse por processos de negócios. Com o passar do tempo, me aprofundando mais sobre o assunto, percebi que com ele poderíamos representar o funcionamento ponta a ponta da empresa. “Do poço ao Posto”. “Da necessidade a Proposta”. “Da reclamação a Solução”. “Do aceite da proposta a entrega do produto”. São alguns exemplos de processos de negócios que podem existir na empresa.

Já na PRODAM, fiz então o curso de BPM (Business Process Management), aprendendo assim a “mapear processos”. Escrevi artigo sobre o uso de Mapeamento de Processos no Gerenciamento de Projetos. Apliquei esse conhecimento no mapeamento de alguns processos da SEDUC-AM. Elaborei, em conjunto com um líder de produto, um processo de atendimento das demandas de serviços de rede. Ou seja, comecei a enxergar que grande parte das atividades podem ser representadas em processos de negócios, para então ser melhoradas continuamente.

E por que processo de negócios? Porque trata de processos que trazem valor para o cliente. Não é interesse principal da disciplina mapear uma atividade que não gere valor. Por exemplo: porque adicionar refeição no transporte aéreo, se o cliente valoriza apenas o preço baixo das passagens? Como eu posso adicionar valor para o cliente que gosta de pagar menos? o que eu posso mudar no meu processo? O que o cliente valoriza em um hotel para passar apenas uma noite?

Essas e outras perguntas começam a ser feitas pelos analistas de processos de negócios. Será que esse “monte” de atividades que eu realizo atualmente está gerando algum valor para o cliente? Ao invés de perguntar se o processo está sendo eficiente, será que está sendo eficaz? Pois de nada adianta eu fazer algo bem feito se o resultado não é percebido pelo meu cliente.

Hoje falo assim com mais empolgação sobre o tema :), pois acabei de me certificar em Análise de Processo de Negócios. Cerificação essa promovida pela ABPMP: CBPP (Certified Business Process Professional). Após análise curricular e liberação para participação no BPM Boot Camp realizado em São Paulo, fiz a prova em 18/10/14 e passei! Ebaaaa!! Hoje sou CBPP e afiliado ABPMP.

BPM Boot Camp - São Paulo  - 15 a 17/10/2014
BPM Boot Camp – São Paulo – 15 a 17/10/2014

O BPM Boot Camp contribuiu (muito) para aprender como o processo de negócios pode trazer valor para o trabalho, através de suas melhores práticas. Tais como redução de Handoffs, criação de uma linguagem padrão, apoio no mapeamento de atividades, definição da cadeia de valor, além de contribuir para o redesenho de processos de forma ágil e mais segura. Vi que o mapeamento de processos (ou o que muitos tratam como “desenho”) é apenas parte do trabalho realizado por um Analista de Processos. Pois após esse mapeamento, novos caminhos de reengenharia, redesenho, quebras de paradigmas, podem ser seguidos.

Foi um grande evento! Com aumento de networking sensacional! Palestrantes com paixão pelo que fazem! Buscando sempre o compartilhamento de informações e a busca por transformar positivamente o mundo através da utilização de BPM. Eu recomendo!

Tornar-me CBPP, como o primeiro de Manaus, e um dos poucos da região norte também, trás a responsabilidade de contribuir para o desenvolvimento de nossa região sobre a capacidade de gerenciamento que o BPM proporciona para as organizações. E isso é muito legal! Já pensou no que você pode melhorar no seu processo diário? O que está sendo mais custoso? O que não trás valor? vamos retirar essa atividade! 🙂

Até a próxima.

Forte Abraço!

Renato Borges, MBA, PMP, CBPP

4 comentários em “Trabalho, processos de negócios e a certificação CBPP

  1. Olá Renato! Primeiro te parabenizo pela conquista!!! Estou querendo tirar minha certificação, que conselhos você daria para a preparação? Qual estratégia de estudo você utilizou? Poderia me passar algumas dicas? Obrigada!!

    Curtir

    1. Muito obrigado Livia!
      PAra a preparação Livia, sugiro baixar pdf sobre Mapeamento de Processos de Negócios e começar a praticar/aplicar no seu dia a dia! Quando começar a aplicar você vai se surpreender com o tanto de atividades que você realiza e que as vezes não trazem valor para você (cliente).
      Eu estudava e praticava. Aprendi muito com o Manual do ARIS também e com exemplos da ferramenta Bizzagi.
      Use o livro BABOK como base, mas sem se limitar a ele.
      E pratique. Analise, desenhe, redesenhe um processo. É muito legal!
      Estarei à disposição!

      Curtir

Contribua com seu comentário. Será bem vindo(a)!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s