Desde pequeno, fomos criados com aquela cultura da recompensa: faça isso que te dou um doce. Os adestradores utilizam o biscoito para recompensar uma atividade bem realizada por seu bichinho de estimação. Até no sinal de trânsito o malabarista faz uma graça e quer uma “graninha” em troca. Em todo lugar é assim. Inclusive nas empresas, no qual o nosso trabalho é pago no final de cada mês através do salário. Fazer e receber.

Mas quando se juntam pessoas dos mais diversos tipos e necessidades, habilidades, conhecimentos, com as mais diversas motivações, aí a complexidade de gestão começa. Como fazê-las ter um alto rendimento/desempenho em cima de um projeto onde elas nem sabem quem vai ganhar, ou o que vão ganhar?

Muitos acreditam que a principal dificuldade no projeto é definir seu escopo, gerenciar a mudança, cronograma, custo ou retorno sobre o investimento, acabando por se preocupar apenas com o que o projeto vai trazer para a empresa (resultados), “esquecendo” as pessoas que o compõe. Sendo que, diariamente, em todas essas restrições gerenciadas, nós tratamos com essas pessoas (equipe do projeto), seja para atribuição de tarefas ou consulta de opiniões. O alinhamento entre os resultados e as pessoas responsáveis por atingi-los é fundamental para que o projeto termine sem muitos “mortos e feridos”. Então, onde eu defino o retorno para as pessoas do projeto?

É na disciplina de gerenciamento de recursos humanos em projetos que a resposta deve ser respondida. Pois nela o GP deve planejar, mobilizar, desenvolver e gerenciar a equipe do projeto. Diariamente! Não basta que seu projeto atinja os objetivos para a empresa, se sua equipe está desunida, cansada, desmotivada, sem força nem para comemorar o sucesso do projeto.

O Gerente de Projetos, em conjunto com a empresa, deve sim pensar mais nas pessoas. Na equipe. Precisa conhecer os anseios, emoções, motivações de cada uma, para então incentivá-las de forma individual e/ou em grupo. Incetivos esses que podem ser financeiro, pessoal (um “tapinha” nas costas), que melhore a auto-estima de cada um, através de um treinamento diferenciado, folga, uma viagem com a família, ou até a participação em um outro projeto. Planeje esse retorno para a equipe e compartilhe com eles. O resultado será surpreendente!

No início de cada projeto e durante sua execução, recomenda-se que o Gerente de Projetos (baseado nas melhores práticas do PMBok):

  1. Planeje: Defina as funções e responsabilidades; Defina os pré-requisitos profissionais; Planeje as recompensas, defina o que eles vão ganhar ao final de cada projeto; Defina como eles serão avaliados; Verifique quais são suas ferramentas de motivação.
  2. Mobilize a equipe: Faça com que os mesmos interajam entre si, sem pressão; Crie um ambiente propício ao trabalho; Faça com que cada um conheça o estilo de trabalho do outro, suas fraquezas e forças, colaborando; Aproximem-se; Se não for para ser bons amigos (seria ótimo), tente uni-los em prol do desafio.
  3. Desenvolva a equipe: nenhuma equipe começa 100%; Verifique suas fraquezas e invista em treinamento; Melhore aquilo que a equipe já é boa; Meça o desempenho de cada um no projeto e proponha ações individuais e em equipe; às vezes uma equipe com ótimos profissionais não gera o resultado esperado; Identifique isso.
  4. Gerencie: dê Feedback! Sempre! Resolva as questões pendentes; Verifique a causa raiz de intrigas entre os colaboradores; Responda com confiança e transparência; Converse, converse e converse, mantendo sempre o foco no resultado do projeto e individual.

Infelizmente muitas organizações tratam esse investimento em tempo e pessoas como custo, ou algo desnecessário, imaginando que todos já devem saber o que tem que ser feito e fazer. Ponto. Por isso acabam por evitar investir na equipe, sem saber que a qualidade do projeto tende a cair, fadado a muitos conflitos e insucesso. Afinal, gerenciar pessoas não se trata apenas da alocação delas no projeto, ou na atribuição de tarefas/atividades, mas sim em seu desenvolvimento, evolução, onde ao final cada um possa sair um profissional melhor, tratando o projeto como um grande aprendizados e conquista em sua vida. A empresa ganha, o colaborador também. Com essas pequenas ações a equipe chegará ao final do projeto com força para começar outro. E isso não tem preço!

Contribua com seu comentário. Será bem vindo(a)!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s