A economia 4.0 (ou indústria 4.0), caracterizado pelo maior uso de tecnologias digitais, como a Internet das Coisas (IoT), redes sociais, Inteligência artificial, dispositivos de monitoramento digital, robôs, impressoras 3D, entre outras características, trouxe mais desafios para a gestão de projetos em meio a essa sociedade digital.

Nessa economia, através da utilização de dispositivos digitais, praticamente tudo pode ser monitorado, medido, compartilhado, ajustado, de forma simples e mais assertiva. O Big Data permite entender o relacionamento de uma infinidade de dados, gerando informações, comparando com projetos similares e propondo caminhos menos arriscados para a gestão. Robôs, Machine Learning, automação de processos, são ferramentas que convivem com as equipes diariamente, em busca do mesmo objetivo empresarial.

As equipes estão auto organizadas, utilizando sempre a inteligência coletiva como princípio organizacional. O foco no cliente (e sua experiência) puxa a execução dos projetos. A mudança em produtos, antes temida, hoje é abraçada e os produtos estão cada vez mais personalizados. O engajamento dos envolvidos no projeto ultrapassa a barreira organizacional, através de plataformas de colaboração digital, podendo saber como os especialistas do outro lado do mundo tem solucionado os problemas nos projetos. A gestão diretiva, de “cima para baixo”, geralmente pouco flexível, tem perdido espaço (ou convivido) com a gestão de “baixo-pra-cima”, criado com decisões tomadas pelas pessoas responsáveis pelas entregas.

O Líder de Projetos, precisa cada vez mais interagir com atores/ferramentas existentes nesse cenário. Com a automação de processos, reduzir riscos e perdas, através da simulação de soluções, avaliando os resultados, antes de alocar recursos para o projeto. Utilizar robôs que respondam sobre a situação atual do projeto, o que está atrasado, qual colaborador está sobrecarregado, previsão de termino do projeto, custo, cronograma, utilizando linguagem natural para isso. Nada de grandes relatórios extensos que buscam responder tudo e acabam não respondendo nada.  Com o IoT, monitorar seus recursos (humanos e físicos), suas alocações, estresse, doenças, distrações, estoque, perdas, em tempo real, agindo de forma pró-ativa para o sucesso do projeto. Com Big Data, realizar comparações e previsões, comparando com dados de outros projetos e equipe, seja da própria empresa, seja com empresas similares, apoiando assim decisões estratégicas.

A economia 4.0 reafirma que os elementos estão todos conectados. Interna e externamente a ambiente usual do projeto. Se o mercado muda o seu projeto deve mudar. Se a economia muda o seu projeto segue o mesmo caminho. Na visão que o projeto deve apenas “entregar”, foi adicionado a palavra “valor”. Não basta entregar, tem que ter valor. Para isso, o responsável pelo projeto deve interagir constantemente com Product Owner, entendendo o que entrega valor mais rápido para o cliente; com o cliente, entendendo as suas expectativas; com os usuários, medindo sua satisfação na experiência com o produto; com a equipe, entendendo sua motivação e capacidade de entrega; com os analistas de negócios, entendendo qual o impacto do produto no processo ponta a ponta do cliente. Ou seja, o conhecimento técnico em projetos, deve ser combinado com conhecimentos estratégicos e negócios (mercado, missão da empresa, riscos de negócios, objetivos, tecnologias disponíveis, cliente) e de liderança (equipes colaborativas, empoderadas, líder servidor, etc).

As sociedades digitais são um caminho sem volta. Adaptar-se a ela é de fundamental importância para realização e sobrevivência dos projetos. Se você achava que os requisitos implícitos eram muitos, imagine agora com tantos meios para acessar as informações e prosseguir com o processo (Omnichannel), por exemplo. Seja acesso via aplicativo, redes sociais, sistemas, SMS, atendimento ao cliente, microserviços, etc. O cliente não vai dizer que ele quer que funcione assim. Não mesmo! Todo projeto que nascer agora deve levar em consideração esse cenário.

Fonte da imagem destacada: http://www.megamoveleiros.com.br/voce-esta-preparado-para-a-industria-4-0-2/ – Em: 22/03/2018

4 comentários em “A economia 4.0 no gerenciamento de projetos

  1. Olá, gostei muito do seu post. Estou pesquisando para uma monografia os desafios das equipes de GP frente a implementação de projetos voltados a industria 4.0. Encontro escassez quando o assunto é voltado as equipes e não somente a posição de líderes estratégicos (topo da empresa), vc tem algum material para me indicar mais ligado ao cotidiano, assim como seu post?

    Curtir

  2. Oi Gisele, muito obrigado! Que ótimo tema que você escolheu, hein. E bem desafiador! Parabéns, desde já. Os materiais voltados a esse tema estão muito alinhados a agilidade. Quais os desafios que a equipe precisa superar rumo a entrega contínua, cultura de aprendizado, ciclos curtos de entrega, abertura, transparência. Esse são desafios mais gerais. Voltado a industria 4.0, vejo com bons olhos uma maior aproximação do cliente e criação de uma estrutura interna de funcionamento para validação das necessidades, constantemente. Isso envolve uma equipe engajada e apoio da diretoria, com certeza. Material específico não tenho, mas é isso que empiricamente tenho observado no dia a dia e nas consultorias que presto. Espero ter contribuído em algo. Estimo sucesso! Forte abraço!

    Curtir

Contribua com seu comentário. Será bem vindo(a)!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s