No dia 17 de Outubro, participei da “I Semana Acadêmica dos Cursos de Tecnologia da ESBAM”, com a palestra “A tecnologia da informação no gerenciamento de projetos”. O evento teve como ideia principal estimular a interdisciplinaridade entre os cursos da área de Informática.

Leia aqui a matéria publicada pelo ESBAM.

Na palestra, que teve duração de 1h, compartilhei com o público o conceito inicial de projeto, utilizando exemplos do dia a dia, tais como: TCC, desenvolvimento de um novo produto, uma viagem, desenvolvimento de softwares, etc. Sendo que o projeto deve ter uma duração finita e entrega de um produto, serviço ou resultado único. Conversamos sobre os motivos principais das falhas em projetos, tais a gestão de escopo, comunicação e não acompanhamento da evolução tecnológica, por exemplo. Em seguida, falamos sobre o que é sucesso em projeto, onde, no cenário competitivo atual, apenas cumprir o tempo, custo e requisitos levantados, não tem sido suficientes para definir “sucesso”.

Diante de todas as adversidades e busca por melhores resultados empresariais, surge o papel do gerente de projetos. Profissional que responde pelo projeto como um todo para seu patrocinador, assegurando o atingimento dos objetivos do projeto, com colaboração da equipe. Profissional com fortes habilidades de negócios, comportamentais e orientado a resultados. Onde ele, diariamente, deve interagir com as áreas de conhecimento existentes no PMBOK.

Falei sobre “valor” ou “valor de negócio”, que tem sido o constate desafio do gerente de projetos junto as suas entregas aos clientes. O que o cliente valoriza? O que fazer para atingir essas prioridades? Isso sem esquecer do gerenciamento da qualidade e restrições.

Como desafios, o GP e a equipe devem arrumar soluções de como “fazer mais com menos”, trabalhar com disrupção, entrega de valor mais imediata e constante, em um cenário de extrema incerteza, onde a experimentação pode ser uma saída. Entender a jornada do cliente, para promover a transformação digital, com o avanço no uso do Cloud Computing, IoT, Robôs, Machine Learning, entre outros. Como usar todo esse avanço em benefício de seu projeto? Tanto para entregar valor ao cliente como para gerenciar melhor a equipe.

Como a utilização de software de gestão podem ajudar na escolha de equipes, líderes, escolha de tecnologia. Como a experimentação pode ajudar no uso melhor de recursos do projeto/produtos. Como os robôs podem facilitar o trabalho rotineiro de comunicação, tais como envio de relatórios, geração de gráficos e interação com clientes. Onde a características dos softwares passam a ser cada vez mais preditivos, dando uma visão para o gestor do que vai acontecer no futuro, através de grande análise de dados de desempenho.

Para finalizar, falei sobre o impacto da metodologia agil no ambiente de projetos, com exemplos de ferramentas de apoio para promover a transparência e melhor desempenho da equipe, tais como Kanban, Product Roadmap, Burndown chart, entre outros. Falei ainda sobre o DevOps, palavra que vem da contração de “Desenvolvimento” e “Operações”, e sua importância para a entrega contínua de produtos, em um processo fim a fim.

Foi uma grande oportunidade de compartilhar a experiência do mercado com o que a academia tem praticado. Pelo qual agradeço muito o convite feito pelo professor do ESBAM Robson Togni para participar do evento.

Caso queira levar essa apresentação para sua faculdade ou empresa, pode entrar em contato e terei o maior prazer em participar.

Forte abraço!!

 

 

 

 

 

Contribua com seu comentário. Será bem vindo(a)!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s